1. Início
  2. Notícias
  3. 2005
  4. Maio

Ceasa Serra é pioneira na higienização de embalagens

Publicada dia

O Prefeito José Ivo Sartori assinou, nesta segunda-feira (09/05), a ordem de início para obras da Central de Embalagens da Ceasa/Serra. A Central vai permitir a higienização de caixas de plástico para todos os produtores rurais da região, um serviço pioneiro no Estado. Também participaram da assinatura o Secretário Municipal da Agricultura e diretor da Administradora de Consórcios Intermunicipais (Adcointer), Nestor Pistorello; presidente da Emater, Caio Rocha; gerente da Ceasa Serra, Alcemir Kahmler; secretários municipais, prefeitos de Veranópolis, Nova Pádua e Garibaldi, além de representantes dos agricultores. A assinatura foi realizada na Ceasa.

A limpeza de embalagens plásticas, que será realizada na Central, é uma exigência da legislação. O serviço beneficiará tanto os agricultores, que passam a valorizar ainda mais seus produtos, como os consumidores, que terão maior garantia de hortifrutigranjeiros livres de contaminação.

O Prefeito José Ivo Sartori afirmou que iniciativas como essa demonstram bem o trabalho que está sendo desenvolvido pela administração municipal, no sentido de fazer do interior do município um pólo de excelência agrícola. “Estamos caminhando com força na área da Qualidade, pois é assim que pretendemos fortalecer a nossa zona rural e fixar o homem no campo”, destacou. Para Sartori, o produtor precisa ter garantia de uma boa infra-estrutura para comercializar seus produtos com segurança e agilidade.

O secretário da Agricultura, Nestor Pistorello, lembrou que a Ceasa Serra é pioneira neste tipo de trabalho. “Além de diminuir custos, a Central de Embalagens revela nossa preocupação com a saúde do consumidor”, ressaltou. Ele acrescentou que a função da Central está diretamente ligada ao conceito de Segurança Alimentar, tão importante atualmente. “O consumidor não quer e não pode correr riscos”, completou.

O presidente da Emater, Caio Rocha, citou um dado relevante sobre a economia que a Central irá gerar. “Enquanto cada caixa de madeira custa R$ 1,20 e não pode ser reutilizada, a lavagem de uma caixa plástica tem custo de apenas R$ 0,20, com reutilização garantida”, disse. Segundo ele, trata-se de uma economia significativa, além de cumprir com exigências dos órgãos de inspeção sanitária.

O investimento na construção do prédio - e do asfaltamento em torno dele - será em torno de R$220 mil. Os recursos serão administrados pela Ceasa, pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário e pela Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Secretaria da Agricultura. Estima-se que até o final deste ano, os produtores da região possam utilizar o serviço.