1. Início
  2. Notícias
  3. 2018
  4. Abril

Samae projeta reforma para dobrar volume de água tratada na ETA Celeste Gobbato

Essa será a primeira grande obra na estação em quase 60 anos de atividades

Atualizada dia

O Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) está projetando a reforma e ampliação da Estação de Tratamento de Água (ETA) Dr. Celeste Gobbato, que atende a represa Maestra. Construída no bairro Pioneiro, na década de 1960, essa será a primeira grande obra no local. Atualmente, a estação opera com dificuldades devido a uma série de limitações operacionais em função de sua estrutura original. Com a obra, a capacidade de tratamento deve dobrar, passando de 300 para 600 litros por segundo.

Após um estudo detalhado elaborado pela autarquia sobre as deficiências existentes na ETA Celeste, concluiu-se que seria adequado construir novas unidades de processo aproveitando as já existentes. O projeto executivo para as obras deverá ser concluído até o final do primeiro semestre de 2018. A partir daí, será possível estipular uma data para o início das obras. A previsão orçamentária supera os R$ 20 milhões e a nova estação deve ficar pronta até o fim de 2020.

Atualmente, a estação opera com dificuldades devido a uma série de limitações operacionais em função de sua estrutura original

Foto por Arquivo Samae

Gerson Panarotto, diretor da Divisão de Planejamento Integrado do Samae, explica o que será otimizado na nova estação. “Além da ampliação do tratamento, serão implementadas novas tecnologias para automatização e qualificação do processo, economizando energia e também a água utilizada na operação. Outro objetivo é implementar o sistema de tratamento de lodo, que é uma exigência dos órgãos ambientais, que até recentemente não havia”, informa.

Com as novas obras, será possível desativar a ETA Dr. Borges de Medeiros, que atualmente trata a água captada nas Represas do Complexo Dal Bó, atendendo os bairros Universitário, Madureira, parte do Centro e parte do Jardim América. Por ser antiga e apresentar uma área muito pequena, não há condições de ampliar ou adequar a estrutura. Para tanto, é necessário transferir o tratamento da água para a ETA Dr. Celeste Gobbato, o que poderá ser feito após a ampliação.

“Apesar das dificuldades estruturais do local, por ser muito antigo, o Samae atinge integralmente todos os padrões de potabilidade estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Porém, para que a autarquia esteja apta a atender futuros padrões mais restritivos e também ao aumento populacional naquela região da cidade, será necessária a realização de obras de reforma e ampliação na ETA Celeste”, explica Panarotto.

A ETA Celeste Gobatto atende os bairros São José, Santa Catarina, Cohab/Santa Lúcia, Colina Sorriso, Nossa Senhora de Fátima, Monte Bérico, São Giácomo, Reolon, parte do Marechal Floriano, parte do Pio X, Santa Fé, Centenário, Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora da Saúde, Pôr do Sol, Pioneiro e arredores.

Assessoria de Imprensa - Samae