1. Início
  2. Notícias
  3. 2019
  4. Maio

Estudantes da Professora Leonor Rosa participam de fase final da Mostra Brasileira de Foguetes

Lançamento foi realizado na manhã desta sexta-feira e resultados serão mandados para organização

Atualizada dia

O clima na manhã desta sexta-feira (17/05), na Escola Municipal Professora Leonor Rosa, era de expectativa e ansiedade. A instituição está participando da 13ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), uma olimpíada experimental de construção e lançamento de foguetes, relacionada à Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA). Para marcar o encerramento do projeto, os estudantes, acompanhados pelo professor responsável pela atividade, fizeram o lançamento no Campo da Conceição na Linha Feijó.

Galeria de imagens
1 de 27 imagens

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Foto por Carolina Canton

Desde o início do projeto, as duas turmas de 9º ano se dividiram em grupos de dois e três estudantes para cada protótipo de foguete, envolvendo-se desde o estudo até a construção. No Campo, cada grupo montou seu foguete na base de lançamento e seguiu as instruções para o disparo.

Para Diogo Cecconello, professor de ciências responsável pelo projeto, todos os estudantes se mostraram interessados em aprender com a atividade desde o início do trabalho.

“Estamos muito motivados pela Olimpíada Brasileira de Astronomia e pela Mostra Brasileira de Foguetes. Decidimos, a partir da construção de modelos de foguetes, contextualizar o aprendizado dos estudantes, seguindo as leis da física. Tudo aquilo que aprendemos em sala de aula, trazemos hoje para a parte prática”, conta.

Betânia de Souza Fortuna, estudante do 9º ano A, considerou a experiência única.

“Foi muito legal participar desse projeto, uma experiência nova. Conseguimos aprender bastante de uma maneira bem diferente. A nossa expectativa é tirar o primeiro lugar”, afirma.

O objetivo era que o foguete voasse o mais longe possível, visto que o primeiro lugar na Olimpíada é para o foguete que consiga alcançar a maior distância.

“A nossa expectativa era atingir, em média, 100 metros, e alguns foguetes conseguiram atingir mais de 120 metros. Os estudantes gostaram da atividade e tiveram um aprendizado satisfatório”, completa Cecconello.

O próximo passo é enviar as filmagens dos lançamentos dos foguetes, com a distância em metros alcançada por cada protótipo, para a equipe da MOBFOG. Eles avaliarão as distâncias conseguidas por todas as instituições inscritas na edição deste ano. Independentemente da premiação final, todos os estudantes receberão certificados de participação da Olimpíada.

Assessoria de Imprensa - Smed