1. Início
  2. Notícias
  3. 2019
  4. Maio

Prefeitura investe R$ 19,3 milhões no asfaltamento da Estrada José Zanette

Prefeito Daniel Guerra visitou a comunidade de São Gotardo neste domingo (19/05)

Atualizada dia

O prefeito Daniel Guerra esteve na comunidade de São Gotardo, durante almoço festivo neste domingo (19/05), para celebrar o compromisso com a região quanto ao asfaltamento da Estrada Municipal José Zanette. A novidade já havia sido anunciada aos moradores pelo secretário municipal de Obras e Serviços Públicos, Leandro Pavan, em janeiro. O investimento da prefeitura é de R$ 19,3 milhões, abrangendo aproximadamente 11,5 quilômetros, desde a Rota do Sol até a BR-116. O local é importante para o escoamento da produção de frutas como uva, caqui, ameixa e pêssego, além de contar com diversas empresas e indústrias.

O prefeito Daniel Guerra conversou com os moradores e com os voluntários que trabalharam durante o evento, agradecendo a acolhida da comunidade. "Estamos aqui para assumir o compromisso de fazer, de resolver. Só quem vive o problema de São Gotardo, na hora de escoar a produção e passar todos os dias por esse problema, sabe da importância de um asfalto. Não estamos aqui para prometer. Estamos aqui para assumir o compromisso de fazer, e vamos fazer. Temos já, garantidos, os R$ 20 milhões para essa obra. Isso vai facilitar a vida dos nossos produtores, os quais faço a minha reverência e agradecimento por tudo que produzem para Caxias do Sul e para o nosso Estado. O compromisso é começarmos a obra ainda este ano e a conclusão será até o final do ano que vem", declarou o prefeito.

Galeria de imagens
1 de 5 imagens

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

O agricultor e empresário Nei Carlos Zanette, de 52 anos, possui uma agroindústria junto à estrada. Além de produzir pêssego, ameixa, caqui e uva, Zanette concentra a produção de 150 agricultores de diversos distritos de Caxias do Sul, embalando as mercadorias e fazendo a distribuição para outras cidades e também para estados como Paraná, São Paulo, Rio de Janeiro, Mato Grosso e até Maranhão. Por ano, a empresa prepara e distribui 2 mil toneladas de caqui, facilitando o ingresso no mercado do pequeno agricultor, uma vez que as encomendas são feitas em grandes quantidades. A empresa reúne o volume solicitado e garante o pagamento às famílias.

"Em torno de 95% do que distribuímos vai para outros estados. Nossa maior dificuldade, no entanto, é o transporte. Os caminhões que levam essas frutas para outras regiões são maiores, por isso precisam de estradas em boas condições. Já perdemos vendas porque, mesmo tentando mais de uma vez, os caminhões não conseguiram chegar por conta da estrada, enquanto em outros locais o acesso era mais fácil. Com o asfalto, isso fica resolvido. Poderemos vender para esse mercado com mais qualidade, porque saberemos que a fruta não vai ficar batida durante a viagem, e inclusive ampliar os negócios. Muitos jovens vão poder ficar no interior com melhores condições de sustento, e os que foram para a cidade terão a chance de retornar. Vai ser um grande impulso para a nossa comunidade e também para todos que precisarem de uma ligação segura entre a Rota do Sol e a BR", comentou o empresário.

Galeria de imagens
1 de 4 imagens

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

O agricultor Valmir Carlos Giacomet, de 54 anos, precisa da estrada José Zanette para vender a produção de 130 toneladas de uva bordô por ano. "Já faz mais de 20 anos que comentam sobre esse asfalto. Agora, eu acredito. Para nós, vai ser muito mais tranquilo para trabalhar", salientou. A opinião é partilhada por Nelson Rech, de 64 anos, que possui uma empresa de produção de gesso na região. Ele vive na comunidade há 45 anos. "Eu faço quatro entregas de material por dia, ou seja, passo por essa estrada oito vezes. É muito complicado. Quando chove, é barro. Quando não chove, é pó. Nem adianta lavar o carro, porque sempre está igual. Por mês, chegam duas carretas de matéria-prima para a minha fábrica, mas elas não conseguem subir o morro. Sempre preciso da ajuda de uma patrola. Além disso, já vi acidentes. No ano passado, morreu um rapaz. Especialmente para quem não está acostumado a dirigir em estrada de chão, é muito perigoso", comentou.

Além de ser um local importante para o fluxo de produção agrícola e de matérias-primas, a estrada ainda é rota do transporte escolar para os estudantes da região e representará, quando asfaltada, uma economia em manutenção para a Smosp. A obra faz parte do Programa de Desenvolvimento da Infraestrutura (PDI), que contempla quase 70 quilômetros de asfalto em estradas do meio rural e também em alguns trechos da área urbana e outros equipamentos de infraestrutura. A verba do PDI é oriunda de empréstimo conquistado pelo Município junto à Corporação Andina de Fomento (CAF).

Galeria de imagens
1 de 13 imagens

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Foto por Mateus Argenta

Neste domingo, o prefeito Daniel Guerra esteve acompanhado da primeira-dama, Andrea Marchetto Guerra, do titular da Smosp, engenheiro Leandro Pavan, do chefe de Gabinete, Chico Guerra, e do secretário da Habitação, Claudir de Bittencourt. O subprefeito de Vila Seca e Vila Oliva, Avelino Alves, também esteve com o grupo.

Antes de se dirigir à comunidade de São Gotardo, o prefeito também visitou a Unidade de Pronto Atendimento 24 Horas (UPA 24 Horas), onde conferiu o atendimento prestado e conversou com os usuários que aguardavam consulta.

Assessoria de Imprensa - Smosp