1. Início
  2. Notícias
  3. 2019
  4. Maio

Quase seis mil pessoas faltam a consultas com especialistas no primeiro trimestre deste ano

Índice é superior a 17% na Rede Especializada de Saúde

Atualizada dia

No primeiro trimestre deste ano, quase seis mil consultas foram perdidas no Centro Especializado em Saúde (CES) devido a faltas de usuários. O número representa 17,45% do total de 34,3 mil atendimentos agendados de janeiro a março.

Entre 24 especialidades ofertadas no serviço, dermatologia, homeopatia e fonoaudiologia figuram entre as que apresentam os mais altos índices de ausência dos pacientes, com percentuais geralmente acima de 20%. Também chama atenção no balanço da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) a taxa significativa de absenteísmo, acima de 17% em áreas com elevada demanda, como ortopedia e neurologia, por exemplo. Já urologia, pequenas cirurgias e oxigenioterapia costumam apresentar percentuais menores de faltas, de 15% ou menos.

A diretora da Rede Especializada de Saúde, Nicole Golin, solicita que os usuários que aguardam consulta mantenham seus telefones de contato atualizados e, em caso de desistência, avisem com antecedência. “Boa parte dos atendimentos são perdidos porque não conseguimos localizar o paciente para avisar do agendamento. Outra parte porque ele confirma e, na hora, não comparece”, explica.

Segundo Nicole, se a pessoa desistir da consulta, deve avisar com pelo menos 24 horas de antecedência. “Ela pode ligar para sua Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência ou diretamente para o CES. Assim, conseguimos oferecer esta vaga para outro usuário, pois a demanda pelas especialidades é alta”, afirma.

Nicole ainda alerta para que os pacientes levem os exames que já fizeram ao especialista. “Muitos chegam ao CES sem os resultados dos exames já solicitados pelo profissional da UBS. Aí o médico precisa pedir novamente ou orientar que o paciente traga em uma próxima consulta. Isso atrasa o diagnóstico e o início do tratamento, além de exigir mais atendimentos para um mesmo usuário, pela mesma queixa”, diz. A diretora também reforça que é necessário levar os exames completos, e não apenas os laudos. “Isso vale principalmente para radiografias ou ecografias. Não basta o laudo, o especialista precisa avaliar as imagens”, esclarece.

Para o secretário municipal da Saúde, Júlio César Freitas, para o sistema público funcionar bem é preciso que cada um faça a sua parte, poder público e sociedade. “Basta se colocar no lugar de quem precisa e está aguardando. Se cada um fizer a sua parte, ganhamos agilidade. Mesmo nos mutirões que estamos fazendo, em que a pessoa confirma a consulta dois dias antes, temos registrado absenteísmo. Se agendou, compareça. Se desistiu, avise. Se tem exames, apresente. O usuário tem direitos, mas também responsabilidades”, conclui.

Assessoria de Imprensa - SMS