1. Início
  2. Notícias
  3. 2019
  4. Novembro

72,51% das mulheres atendidas pelo CRM foram vítimas do mesmo agressor mais de uma vez

Cenário da Violência Doméstica e Familiar de Caxias do Sul foi apresentado nesta terça-feira (26/11)

Atualizada dia

Mais de 70% das mulheres atendidas pelo Centro de Referência da Mulher (CRM), vinculado à Secretaria Municipal de Segurança Pública e Proteção Social (SMSPPS), já foram agredidas mais de uma vez pela mesma pessoa. O dado faz parte de Cenário da Violência Doméstica e Familiar de Caxias do Sul, apresentado durante o lançamento da campanha 16 dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres, na tarde desta terça-feira (26/11). O evento promovido pela Coordenadoria da Mulher, também da SMSPPS, aconteceu na Sala de Teatro Professor Valentim Lazzarotto do Centro de Cultura Ordovás.

Segundo os dados da Coordenadoria, 382 mulheres foram atendidas pelo CRM no primeiro semestre de 2019, gerando 1239 atendimentos, tanto presenciais como indiretos. 48,42% das vítimas já haviam sido atendidas em anos anteriores. O levantamento mostra ainda que 31,46% das vítimas têm ensino fundamental incompleto; 14,65%, fundamental completo; 10,20%, ensino médio incompleto e 23,82% têm médio completo. Outras 2,35% completaram o ensino técnico, 6,28% têm superior incompleto e 4,97% superior completo. 3,40% têm pós-graduação ou mais.

“Esses dados rompem com a ideia de que mulheres vítimas de violência têm baixa escolaridade, não possuem renda fixa, e encontram-se em vulnerabilidade social”, destaca Franciele Roso, diretora de Proteção Social da SMSPPS.

Das 382 mulheres atendidas, 103 têm renda de até um salário mínimo, 129 recebem entre um e dois salários mínimos, e 33 mulheres recebem de dois a três salários. 57%, ou seja, 218 mulheres atendidas no primeiro semestre do ano têm um emprego formal, possuindo uma renda fixa.

A faixa etária mais atendida é a dos 30 a 39 anos, com percentual de 29,85%. 181 vítimas foram agredidas em suas casas. 20,99% dos agressores são companheiros das mulheres e 21,98% são ex-companheiros. 46,85% deles têm algum tipo de relacionamento com a vítima há mais de 10 anos. 75,39% das vítimas registraram Boletim de Ocorrência. “Para nós, isso é algo positivo, pois demonstra que as mulheres estão mais encorajadas a realizar denúncias”, afirma Franciele.

O evento também contou com o lançamento da 2ª edição do Calendário da Rede de Proteção à Mulher, formada por diversas instituições públicas e privadas.

“Nosso objetivo é estar no lar das mulheres, porque o calendário é algo que ela vai olhar todos os dias. Assim, ela vai ter aceso fácil aos serviços da Rede com telefone para contato. É um canal direto de divulgação. O calendário traz ainda 12 conquistas femininas. Nós não podíamos estudar, não podíamos votar, não podíamos pedir divórcio, nem praticar esportes. Foram tantos 'nãos' durante nossa história, que muitas vezes não acreditamos que conseguimos viver com tantas proibições. Com o calendário, também procuramos lembrar que muitas mulheres lutaram para que pudéssemos estar aqui hoje, falando sobre esse assunto”, explica Janete Thomé, titular da Coordenadoria da Mulher.

O calendário tem uma tiragem de cinco mil exemplares e foi realizado com apoio das empresas Grupo Brinox, Rota Sul, Tua Rádio São Francisco, Maisnova FM, Detella Restaurantes e Gráfica São Miguel.

No segundo momento do evento, o promotor do Ministério Público do Rio Grande do Sul, Dr. Luiz Carlos Prá, apresentou a cartilha “Todas E todos pelo fim da violência contra a mulher”, disponível em https://www.mprs.mp.br/dirhum/. Ele ainda elogiou e salientou a importância do trabalho da Rede de Proteção à Mulher.

“Juntos conseguimos evoluir, trocar ideias e conhecimento, além de qualificar nosso trabalho. Toda essa Rede, em conjunto, pode fazer a diferença na vida de muitas mulheres. Hoje em dia, o assunto da violência doméstica ainda é menosprezado e essa cartilha está alinhada ao trabalho da Rede, de mudar esse paradigma”, aponta.

Houve também a apresentação de uma coreografia realizada pelos dançarinos Gustavo Essbich e Maria Eduarda Pazini, que expressaram o sofrimento da mulher vítima de violência através da dança. Em seguida, a gerente do CRM, Suzane Beatriz Dillenburg, apresentou os dados da violência doméstica e familiar da Caxias do Sul.

Galeria de imagens
1 de 5 imagens

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Franciele Roso salienta ainda que o objetivo da campanha é criar engajamento preventivo como forma de enfrentamento à violência. “Estamos com uma programação de mais de 10 eventos ao longo dos 16 dias. Os eventos incluem capacitações e treinamentos para a Rede de Proteção, mas, além disso, também queremos ir para a comunidade, escutar a população e entender quais as necessidades das mulheres caxienses. Assim, poderemos cada vez mais buscar alternativas de rompimento da violência”, ressalta.

Uma das ações voltada ao público em geral é a Delegacia Móvel, que levará orientações sobre os serviços da Rede até a população. A atividade ocorre nesta quarta-feira (27/11) em frente ao Shopping Prataviera (Av. Júlio de Castilhos, 2030) a partir das 9h e às 14h na Estação Principal de Integração (EPI) Imigrante; e também na quinta-feira (28/11), às 9h na EPI Floresta e às 14h nos Pavilhões da Festa da Uva. A programação dos 16 Dias segue até 10/12, com atividades de incentivo ao ativismo e ao debate sobre o tema, contando também com orientações para a população e para os membros da Rede de Proteção à Mulher.

Confira abaixo o levantamento completo apresentado pelo CRM:

Resumo Estatística CRM Primeiro Semestre 2019
Publicado dia 26/11/2019 às 21:46

16 dias de Ativismo Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres

27/11 (quarta-feira)

9h | Em frente ao Shopping Prataviera (Av. Júlio de Castilhos, 2030)

14h | EPI Imigrante

Delegacia Móvel

28/11 (quinta-feira)

9h | EPI Floresta

14h | Pavilhões da Festa da Uva

Delegacia Móvel

02/12 (segunda-feira) - 14h

Bate-papo “Lugar de Mulher é...”

Biblioteca Parque Largo da Estação

Realização: CREAS Norte

02/12 (segunda-feira) - 19h

Painel “As condições de existência das mulheres: relações étnico-raciais e interculturais” com a psicóloga Dóris Adriana Pinto Soares, a mestranda em História Bruna Letícia de Oliveira dos Santos, a assistente social Vanessa Perini Moojen e a psicóloga Thaís Alves Ghenês

Anfiteatro Vereador Marino Kury

Realização: COMDIM

03/12 (terça-feira) - 14h

Capacitação “Mulheres, Sexualidade e Violência de Gênero” com a psicóloga Bruna Krimberg Von Mühlen e a assistente social Eler de Oliveira

Auditório do Centro Administrativo

04/12 (quarta-feira) - 9h

Cine-debate “Violência Doméstica: por que elas não vão embora?” com as psicólogas Ana Maria Franchi Pincolini, Raquel Rodrigues Bierhals e Thais Isabel Dallegrave Bampi

Auditório do Centro Administrativo

04/12 (quarta-feira) - 19h

Painel “Saúde das mulheres e direitos sexuais e reprodutivos” com a ginecologista Sônia Regina Cabral Madi, a advogada Mônica Montanari, a doutora Denise Maria Mantovani e a psicóloga Jocélia da Cruz de Almeida

Anfiteatro Vereador Marino Kury

Realização: COMDIM

05/12 (quinta-feira) - 19h40

Capacitação “A violência doméstica causa muito mais danos do que podemos enxergar” com o ginecologista e mastologista Fernando Vivian, o psiquiatra Eduardo Sassi e a psicóloga Raquel Conte

Auditório do bloco H da UCS

09/12 (segunda-feira) - 10h

Lançamento Oficial do projeto Don@ de Mim

Escola Estadual de Ensino Médio Santa Catarina

* Evento fechado para professores, coordenadores, diretores, autoridades das escolas estaduais e municipais e alunos.

09/12 (segunda-feira) - 19h

Painel “Relações de gênero e Educação: Possibilidades discursivas” com a doutora Deisi Noro, a mestra em História Juliana Goulart Machado e Daiane Dalazen e a psicóloga Helenara Sirone de Moraes

Anfiteatro Vereador Marino Kury

Realização: COMDIM

10/12 (terça-feira) - 9h

Capacitação “Rede de Proteção à mulher: Desafios para o Enfrentamento da Violência contra a Mulher com Deficiência”

1º Painel: Relato dos serviços de atendimento no município com Suzane Beatriz Dillenburg (Centro de Referência da Mulher), Lucelia Amaral Gomes (Coordenadoria de Acessibilidade) e Maria Virginia Pereira (CREAS)

2º Painel: Amparo legal da mulher com deficiência com a doutora Cibele Tonin Stoppazzolli da Defensoria Pública

Auditório do Centro Administrativo

Assessoria de Imprensa - SMSPPS