1. Início
  2. Notícias
  3. 2020
  4. Abril

Em quatro meses, moradores de rua diminuem pela metade em Caxias do Sul

De 741 pessoas em situação de rua em janeiro, agora são 354 e todas atendidos pela rede de assistência social

Atualizada dia

A Prefeitura de Caxias do Sul, por meio da Fundação de Assistência Social (FAS), informa que o número de moradores de rua na cidade diminuiu pela metade, de janeiro a abril, isto é, 52%, passando de 741 para 354 pessoas.

A redução deve-se a intensificação no atendimento pela rede de assistência social, a busca pelo acolhimento e o encaminhamento ao local de origem. Neste período, 277 pessoas receberam auxílio passagem e 16 estão no aguardo. "Fizemos mais de 3.800 abordagens de rua neste período, ouvindo cada um, vendo a sua necessidade e a sua realidade. Abordagens efetivas foram 330. Os que foram embora, ressaltamos que não é só mandar para outra cidade. Tem todo um acompanhamento da rede assistencial com a família que o recebe", explica Marles Sebben, presidente da FAS.

Marlês lembra que quando iniciou o abrigamento dos moradores nos Pavilhões em função da transmissão do covid-19 foram abrigados 226 pessoas de forma voluntária. Lá eles receberam avaliação da equipe técnica e alguns foram encaminhados para o acolhimento nas casas de passagens. "Cabe salientar que todos receberam atendimento e encaminhamentos para suas demandas individuais, inclusive recebimento de Auxílio Emergencial do Governo Federal e Programa Bolsa Família", informa. Atualmente estão nos Pavilhões 67 pessoas. As casas de passagem do município abrigam 110 moradores em situação de rua.

Com a redução do número de moradores nos Pavilhões, os que lá estão serão transferidos para as novas instalações do CAPS Reviver, no bairro Cinquentenário. O prédio passará por reforma para atender esta demanda. A previsão de transferência é de 10 dias.

Paralelo a este trabalho, o Centro Pop manteve o atendimento nas segundas, quartas e sextas-feiras com fornecimento de café da manhã, banho e roupas limpas para cerca de 40 usuários/dia. "São para aqueles que devido à drogadição preferiram voltar às ruas. Não tínhamos como obrigá-los a ficar nos Pavilhões e não podíamos deixá-los sem assistência", destaca Marlês. Ainda são oferecidas jantas de segunda a segunda para 100 pessoas em situação de rua feita por grupos na cozinha da UAB.

A presidente das FAS comemora a redução dos números de moradores em situação de rua nestes primeiros meses do ano, mas enfatiza que há muito trabalho ainda a ser feito com esta população.

Galeria de imagens
1 de 6 imagens

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Abrigo nos Pavilhões

Foto por Marcos Cardoso

Abrigo nos Pavilhões

Foto por Marcos Cardoso

Abrigo nos Pavilhões

Foto por Marcos Cardoso

Abrigo nos Pavilhões

Foto por Marcos Cardoso