1. Início
  2. Notícias
  3. 2020
  4. Maio

Coronavírus: Prefeitura abre Hospital de Campanha junto ao Virvi Ramos

São 49 leitos para pacientes de grau leve e moderado mais 5 leitos de UTI

Atualizada dia

O secretário municipal da Saúde (SMS), Jorge Olavo Hahn Castro abriu, na manhã desta terça-feira (05/05) o 1º Hospital de Campanha de Caxias do Sul, localizado dentro do Hospital Virvi Ramos. São 49 leitos para tratamento de pacientes de grau leve e moderado mais 5 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), os quais aguardam a portaria de habilitação do Ministério da Saúde (MS). Para oferta e manutenção, o investimento mensal será de R$ 697.160,00.

Dos 49 leitos, 15 estão localizados no setor 300 e 34 na área que era ocupada pela saúde mental. A Prefeitura criou mais 5 leitos de UTI, ampliando para 9 os leitos de cuidados intensivos no Hospital. Cada um deles terá um custo de R$ 2,8 mil dia por paciente.

Castro salientou que a Prefeitura buscou ampliar os leitos aproveitando as instalações dentro dos hospitais da cidade. "Sem dúvida a qualidade do atendimento, os recursos e a estrutura dentro de um hospital são muito melhores do que se fossemos fazer um hospital de campanha dentro de um ginásio, por exemplo".

Leitos de UTI

O Município conta com 35 leitos de UTI SUS. Contudo, um leito é destinado exclusivamente para atendimento a pacientes de pós-operatório de cirurgia de labiopalatal. Dessa forma, são utilizados 34 leitos para cuidados intensivos de qualquer caso clínico. A Prefeitura de Caxias do Sul ampliou para mais 25 leitos, sendo 5 no Hospital Virvi Ramos, 10 no Hospital Geral e 10 no Hospital Pompeia. Os leitos do Virvi e do Geral estão prontos, aguardando apenas a portaria de habilitação do Ministério da Saúde. Já os 10 leitos do Hospital Pompeia aguardam os equipamentos que serão fornecidos pelo órgão estadual ou federal.

O titular da SMS informa que se até a próxima semana o MS não habilitar os 10 leitos de UTI do Hospital Geral, o Município irá arcar com os custos. "Esses leitos estão prontos, com equipe e equipamentos, mas seguem sem receber pacientes pois ainda aguardamos a homologação, que é a garantia de recursos para custeio do governo federal", explica. Ainda segundo Castro, a Prefeitura tomou essa decisão para que os leitos possam entrar em funcionamento o mais rápido possível.

Galeria de imagens
1 de 14 imagens

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini

Foto por Andréia Copini