1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Abril

Focos de aedes aegypti já tem crescimento de 337% em relação a todo ano passado

Falta de cuidados da população é apontada como a principal causa

Atualizada dia

Neste ano já foram encontrados 92 focos de aedes aegypti em Caxias do Sul, sendo 17 deles de mosquitos adultos. É um acréscimo de 337% sobre 2020, que teve 27 focos. Embora a cidade ainda não tenha registrado neste ano nenhum caso de dengue, o crescimento descontrolado dos criadouros é preocupante. Lamentavelmente, não é um fator ambiental que tem causado essa anormalidade, é o comportamento da população. “Temos os mesmos eventos, a mesma temperatura, não é uma mudança ambiental. O que temos encontrado, infelizmente, é o descaso das pessoas”, relata a diretora técnica da Vigilância Ambiental em Saúde, vinculada à Secretaria Municipal da Saúde, Sandra Flavia Tonet. Embora os focos de aedes aegypti estejam espalhados pela cidade, praticamente metade se concentra nos bairros Cruzeiro e São José.

Ela relata que, além do aumento das situações tradicionais de água parada, como pratos embaixo de plantas, ferro-velho, etc, apareceram casos novos, como falta de manutenção em piscinas, lonas jogadas em cima de algum objeto que formam pequenas poças, roda furada de motocicleta e construções civis paradas por causa da pandemia com tonéis de água sem tampa. Mesmo não sendo uma atribuição da Vigilância, Sandra conta que a equipe já recolheu mais de 200 pneus deixados em via pública. “As orientações não são novas, as pessoas sabem o que precisa fazer, recolher o lixo, não deixar locais com água parada”, reforça.

A diretora explica que entre 26 de abril e 5 de maio será feito o LIRA (Levantamento de Índice Rápido do Aedes Aegypti). Ele é realizado quatro vezes por ano, uma meta pactuada em legislação federal. São sorteados quarteirões e todos os bairros da cidade são visitados, para verificar o nível de infestação.

“Vamos fazer o LIRA porque é preciso e para saber o índice, mas mesmo antes dele já podemos afirmar: nossa cidade está infestada”, atesta.

Distribuição dos focos na cidade

  • 1 foco – Charqueadas, Charqueadas II, Cristo Redentor, Desvio Rizzo/ Jardim da Lagoa, Jardim América, Mariland, Pio X, Santa Fé, Santa Lúcia Cohab, Vinhedos;
  • 2 focos – Bela Vista, Colina Sorriso e Reolon
  • 4 focos – De Lazzer e Tijuca
  • 5 focos – Charqueadas I e Nossa Senhora de Lourdes
  • 6 focos – São Cristóvão
  • 8 focos – São Luiz da 6 Légua
  • 19 focos – São José
  • 25 focos – Cruzeiro

Orientações para evitar a proliferação do mosquito da dengue

  • Limpar com escovação semanal o recipiente de água dos animais domésticos;
  • Recolher o lixo do pátio;
  • Colocar o lixo ensacado para ser recolhido pela Codeca;
  • Recolher pneus inservíveis e armazená-los em locais secos e protegidos da chuva, ou encaminhá-los ao Ecoponto da Codeca;
  • Tampar caixas d’água;
  • Colocar telas milimétricas em caixas d’água descobertas, reservatórios de captação de água da chuva e nos ralos;
  • Limpar as calhas;
  • Semanalmente, lavar e escovar piscinas plásticas, trocando a água;
  • Eliminar os pratinhos das plantas.