1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Abril

SMC realiza evento Rodas de Conversas alusivo ao Dia Internacional da Dança

Serão quatro encontros virtuais, cada um com um tema

Publicada dia

Instituída pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) no ano de 1982, a data de 29 de abril ficou reconhecida como o Dia Internacional da Dança. De modo a chamar a atenção pela importância desta na construção sócio cultural, e também para incentivar governos de todo o mundo o apoio ao ensino da dança enquanto uma das mais antigas expressões artísticas da humanidade. Tal data foi escolhida por tratar-se do dia de nascimento de Jean-Georges Noverre (1727-1810) autor das famosas “Cartas sobre Dança”, como forma de homenageá-lo, este que é considerado um dos criadores do balé moderno.

Olhando para o cenário atual da pandemia do novo Coronavírus que nos impede o contato presencial mas na eminência de não deixar de exercer a comemoração a esta data tão importante, a Unidade de Dança da Secretaria Municipal da Cultura de Caxias do Sul realizará evento virtual em Comemoração ao Dia Internacional da Dança na semana de 26 a 29 de abril de 2021.

Trata-se da primeira edição do “RODAS DE CONVERSA”, com objetivo de promover reuniões online gratuitas abertas ao público em geral. Sob um formato de bate-papo, acontecerão diariamente nos dias 26, 27, 28 e 29 de abril a partir das 19h30 através da transmissão ao vivo pelo Facebook da Secretaria Municipal da Cultura. O objetivo é possibilitar o encontro entre convidados nacionais, estaduais e municipais responsáveis por fomentar a DANÇA enquanto linguagem artística, fonte de renda e promotora de educação.

A mediação dos bate-papos ficará por conta do jornalista e crítico de dança Carlinhos Santos. Todos os eixos temáticos terão duração de uma hora para as falas dos convidados sob condução do mediador, e meia hora de bate-papo aberto para perguntas do público participante.

Ao todo serão 04 eixos temáticos divididos em:

  • No dia 26 de abril às 19h30 - As escolas de dança locais, a pandemia e o futuro da dança em Caxias;
  • No dia 27 de abril às 19h30 - Dança e projetos sociais;
  • No dia 28 de abril às 19h30 - Pensamento artístico contemporâneo em dança;
  • No dia 29 de abril às 19h30 – A dança na universidade.

Sobre cada eixo temático:

26/04/2021(segunda-feira) entre 19h30 e 21h

As Escolas de dança locais, a pandemia e o futuro da dança em Caxias.

  • Reunião virtual com transmissão ao público via Facebook da Secretaria Municipal da Cultura composta por representantes de Escolas de Dança e Espaços Culturais local com intuito de abordar sobre modos de articulações e sobrevivência dos espaços privados de dança da cidade em tempos de isolamento social.
  • Convidados confirmados: Catiana Oliveira (Studio de Danças Camila Oliveira - Cxs), Cristina Dall’Agno (Endança Jazz - Cxs), Giovani Monteiro (Clube Ballroom Escola de Dança – Cxs), Juliano Viera Dias (J Dance – Cxs), Katherine Brusa (Ballet Margô – Cxs), Renata Dalla Rosa (Hayet Escola de Dança – Cxs) e Rúdi Bortolotto (Oito Tempos Caxias - Cxs).
  • Mediador: Carlinhos Santos
  • Horário: das 19h30 às 21h

CATIANA OLVEIRA: Catiana de Oliveira é professora e sócia proprietária do Studio de Danças Camila Oliveira na cidade de Caxias do Sul. Este ano o Studio completa 24 anos de história na prática da dança na cidade. Formada em Educação Física Bacharelado pela Faculdade da Serra Gaúcha (FSG) no ano de 2016. Professora responsável pelas disciplinas de Jazz, Improviso Dirigido e Ballet Fitness Oficial.

CRISTINA DALL’AGNO: Iniciou seus estudos de ballet aos 11 anos no Centro de Danças Ilse Gruber e posteriormente agregou o jazz com anos de atuação na academia Vivará. Junto com Lisa Susin, criou a Endança Jazz & Cia que completou em fevereiro deste ano 25 anos de atuação em Caxias. Sua formação esta área foi fundamentada em diversos mestres como: Lennie Dale, Luigi, Marli Tavares, Helô Gouveia, Tati Sanchis e equipe da BDC NY.

GIOVANI MONTEIRO: Giovani Monteiro é diretor e professor do Clube Ballroom Escola de Dança. Atua como professor na Escola de Ensino Médio e Técnico da Fundação Universidade de Caxias do Sul - CETEC nas atividades de dança, desde 2006. Desenvolve projetos que visam a valorização da dança no cenário local e o enriquecimento cultural e social da cidade Caxias do Sul e região.

JULIANO VIEIRA DIAS: Coreógrafo, bailarino e professor de dança desde 2000 com foco nas Danças Urbanas. Possui formação em jazz, ballet, dança de salão e dança Contemporânea. Fez parte da Cia Municipal de Dança de Caxias do Sul como bailarino. Trabalhou como educador e professor de dança durante dez anos em entidades sociais nos mais diversos bairros de Caxias do Sul. Atualmente é proprietário do JDance Estúdio de Dança, escola com direcionamento à aprendizagem das Danças Urbanas mas que também contempla vários outros estilos.

KATHERINE BRUSA: É produtora, gerenciadora e ensaiadora do Núcleo Artístico BALLET MARGÔ desde 2004. Atua na elaboração, gerenciamento e produção de projetos e eventos culturais desde o ano de 2003. Produtora da Cia Matheus Brusa desde 2006. Graduada em Dança - 2016, Pós-graduada na especialização CORPO E CULTURA - 2009 - Graduada em Licenciatura em Educação Artística – 2005 - UCS - Cxs do Sul - RS.

RENATA DALLA ROSA: Renata Dalla Rosa é formada em Educação Física. Proprietária da Hayet Escola de Danças desde 2001, escola especializada em danças femininas e orientais. Bailarina com carreira internacional em países árabes. É gestora do Centro de Danças união das escolas: Hayet Danças Orientais, Oito Tempos Dança de Salão e La Serrana Flamenco del Sur.

RÚDI BORTOLOTTO: Possui formação acadêmica em Educação Física e Pós graduação em Dança. É proprietário da escola de dança Oito Tempos Caxias. Professor de dança da UCS. Professor e coreógrafo de dança de Salão.

27/04/2021 (terça-feira) entre 19h30 e 21h:

A DANÇA em projetos sociais

  • No encontro do dia 27, será discutido sobre a inserção da DANÇA como ferramenta de educação e instrumentalização da comunidade em projetos sociais. Os convidados deste eixo temático irão compartilhar suas trajetórias enquanto artistas educadores, e serão provocados a abordar sobre suas experiências na prática do ensino da dança enquanto dispositivo de fomento à dança em seus lugares de atuação dentro de projetos sociais.
  • Convidados confirmados: Akácio Camargo (Caxias do Sul - RS), Chiquinho Divilas (Caxias do Sul – RS), Cristiane Dias (São Paulo - SP), Ellen Serra (Rio de Janeiro - RJ) e Geovani de Gregori (Caxias do Sul - RS).
  • Mediador: Carlinhos Santos
  • Horário: das 19h30 às 21h

AKÁCIO CAMARGO: Akácio Camargo, 28 anos iniciou seus estudos em ballet clássico e dança contemporânea em 2005 no Projeto Social Dança Criança Feliz, tendo dançado também em escolas como Dora Ballet, Ballet Margô e Pavilhão D. Ao longo de sua formação participou de cursos e eventos nacionais e internacionais. Há oito anos, dedica-se a disseminar a dança no bairro Planalto periferia de Caxias do Sul, através do Projeto Impulso que visa levar o ensino da dança, de forma gratuita, as crianças e jovens da região do bairro Planalto.

CHIQUINHO DIVILAS: Chiquinho Divilas, rapper, educador social, pesquisador, escritor e poeta. Doutorando e Mestre em Diversidade Cultural e Inclusão Social pela Feevale-RS. Também é formado em Relações Públicas e Pós-graduado (MBA) em Gestão Estratégica de Pessoas (UCS-RS). Iniciou sua carreira artística em 1997 como músico no grupo de rap caxiense, Poetas Divilas. Em suas atividades é abordada a cultura hip hop, sua linguagem e seus elementos em escolas públicas, privadas, periferias, universidades, penitenciárias e empresas.

CRISTIANE CORREIA DIAS: Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Humanidades, Direitos e Outras Legitimidades, Mestra em Educação pela FEUSP - Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, possui licenciatura e bacharelado em Ed. Física, pesquisadora, produtora, arte-educadora, ativista da cultura Hip-Hop e dançarina de breaking. Diretora Executiva da Federação Paulista de Breaking, Diretora Técnica de Projetos e Normas Desportivas da Confederação Brasileira de Breaking, Produtora/Membro do projeto Quadro Negro do Grupo Opni e Mentora do Guetto Crew (SP) de danças urbanas e do Coletivo Wolts (PE) de moda Hip-Hop. Autora do livro "A pedagogia Hip-Hop: consciência, resistência e saberes em luta" (Appris).

ELLEN SERRA: Ellen Serra, advogada, produtora cultural e diretora geral do Projeto Vidançar, iniciativa de acesso e preparação de crianças, adolescentes e jovens, moradores da comunidade do Complexo do Alemão no Rio de Janeiro, ao ballet clássico e oportunidades no mundo da dança.

GE Break (Geovani de Gregori): Geovani de Gregori é o coordenador da Fluência Casa Hip Hop, associação cultural sem fins lucrativos, localizada no bairro Santa Fé - Caxias do Sul. É um dos fundadores da Essência Crew, coletivo de promoção de arte e Cultura Hip Hop, ativo desde 2009. Uma das principais ações do coletivo é a Batalha da Prova e Café com Breaking, eventos gratuitos de grande impacto que promovem e difundem a cultura Hip Hop. Atua como Educador Social, há 11 anos, no projeto social CAMI São José, que atende crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, residentes no bairro Canyon - Zona Norte. No local, desenvolve atividades artísticas envolvendo a Cultura Hip Hop como um todo, com ênfase na dança Breaking.

28/04/2021 (quarta-feira) entre 19h30 e 21h:

Pensamento artístico contemporâneo em dança

  • Neste eixo temático programado para dia 28 de abril, renomados artistas do cenário nacional e local, falarão sobre seus processos de criação em dança e seus dispositivos de incentivo à criatividade. Além disso, colocarão em pauta suas vivências em dança compartilhando de seus pensamentos artísticos e como tem sido as suas articulações profissionais no cenário atual.
  • Convidados: Claúdia Müller (Uberlândia – MG), Gislaine Sacchet (Caxias do Sul – RS), Luis Ferron (São Paulo – SP) e Mário Nascimento (Manaus – AM).
  • Mediador: Carlinhos Santos
  • Horário: das 19h30 às 21h

CLÁUDIA MÜLLER: Cláudia Müller atua nos campos da dança e performance como artista, professora e curadora. Doutora e Mestre em Artes pela UERJ (2012). Professora do curso de Dança da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), onde também coordena o grupo de Pesquisa Dramaturgias Plurais. Seus trabalhos artísticos vêm sendo apresentados em festivais e centros de arte no Brasil (Palco Giratório, Panorama de Dança, Bienal Sesc de Dança), Argentina (Festival de Danza de Buenos Aires), Chile (Escena Doméstica, Festival UARCIS), Espanha (In-Presentable, BAD, La Laboral Escena, ARTIUM), Marrocos (On Marche), e Portugal (Festival Al Kantara), entre outros. Fez parte da equipe de curadoria da Bienal Sesc de Dança de 2017 e do projeto Modos de Existir 8 do Sesc Santo Amaro/SP (2018).

GISLAINE SACCHET: Doutoranda em Artes Cênicas pela UFRGS; Mestre em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, Especialista em Consciência Corporal/Dança pela Faculdade de Artes do Paraná FAP. Graduada em Licenciatura Plena em Educação Física atua ministrando no Ensino Superior no Centro Universitário da Serra Gaúcha -FSG, nos Cursos de Educação Física e Design, em Caxias do Sul. Coordenadora do Núcleo de Dança FSG e Diretora do Quarta Parede Processos Contemporâneos em Caxias do Sul.

LUIS FERRON: Artista da dança cênica paulistana desde 1983, mantém sua linha de pesquisa focada em abordagens e técnicas direcionadas para as singularidades culturais e corporais como mote para as suas criações. Sua carreira tem sido marcada pelas variações técnicas voltadas para a criação cênica, como também por parcerias ocorridas com outros artistas ao longo da sua trajetória. Atualmente, é diretor do Núcleo Luis Ferron, que se define como uma plataforma para as suas criações.

MARIO NASCIMENTO: Mario Nascimento Iniciou seus estudos no Brasil em 1978, formando-se em ballet clássico, dança moderna e jazz. Estudou com Toshie Kobayashi, Lenie Dale, Fred Benjamin, Redhá Bettenfour, Joyce Kermann,Tony Abbot e Mayza Tempesta. Em 1989 aprimorou-se em dança moderna e contemporânea na Europa. É o Fundador, Diretor Artístico e Coreografo da Cia Mário Nascimento, criada a 20 anos, foi assistente de direção e coreografo da Cisne Negro Cia de Dança (São Paulo), dirigida por Hulda Bittencourt, onde criou as obras: "7 por 7 e “Maracatu de Chico Rei”. Em 97 foi convidado pelo Centro Coreográfico da Comunidade Franco - Belga para ministrar aulas na Post de Hamburgo. Em Janeiro de 2020 assumiu a direção artística do Corpo de Dança do Amazonas - CDA, na cidade de Manaus – AM.

29/04/2021(quinta-feira) entre 19h30 e 21h:

A Dança na Universidade

  • Encerrando a semana da dança teremos no dia 29, convidados de Caxias do Sul, Porto Alegre, Goiânia e Uberlândia atuantes do universo acadêmico, falando sobre a inserção da dança nas faculdades e universidades. Como tem se articulado o movimento de pesquisas acadêmicas na área da dança no Brasil, e qual a relevância para o crescimento profissional do setor no país.
  • Convidados: Magda Bellini (Caxias do Sul – RS), Mônica Dantas (Porto Alegre – RS), Rafael Guarato (Goiânia – GO) e Vanilton Lakka (Uberlândia – MG).
  • Mediador: Carlinhos Santos
  • Horário: das 19h30 às 21h

MAGDA BELLINI: Possui graduação em Licenciatura Plena em Educação Artística - Artes Plásticas pela Universidade de Caxias do Sul (1992), Licenciatura em Educação Física pela Universidade de Caxias do Sul (2019), Mestrado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP (2000) e Doutorado em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUCSP (2007). Professor convidado - Núcleo Docente Estruturante (NDE) dos Cursos de Bacharelado e Licenciatura e Educação Física/UCS e, do Núcleo Docente Estruturante (NDE) do Curso de Tecnólogo em Dança (2014/2016). Pesquisador - NP Ciências e Artes do Movimento Humano - CNPq. Coordenadora do Comitê de Ética e Pesquisa da Universidade de Caxias do Sul - CEP/UCS. Coordenadora do Curso de Licenciatura em Dança da Universidade de Caxias do Sul.

MÔNICA DANTAS: Mônica Dantas é Professora Associada da UFRGS nos cursos de Graduação em Dança e Pós-Graduação em Arte Cênicas. Doutora em Estudos e Práticas Artísticas (UQAM/Canadá), com Pós-Doutorado no Centre for Dance Research/Coventry University (Reino Unido), é Professora Associada na UFRGS nos cursos de Graduação em Dança e Pós-Graduação em Artes Cênicas. É autora do livro Dança, o enigma do movimento, de capítulos em coletâneas internacionais e de artigo em periódicos nacionais e internacionais. Tem formação em dança moderna e contemporânea e atua como bailarina convidada na Ânima Cia. de Dança e da Eduardo Severino Cia. de Dança.

RAFAEL GUARATO: Historiador da dança e professor do curso de graduação em Dança e dos Programas de Pós-Graduação em Artes da Cena e Performances Culturais da Universidade Federal de Goiás (UFG). Doutor em História e Líder do Grupo de Pesquisa em Memória e História da Dança (CNPq) e integrante del grupo Descentradxs - Descentrar la Investigación en Danza. Além de artigos publicados em diferentes periódicos nacionais e internacionais, é autor dos livros "Dança de rua: corpos para além do movimento" (2008) e "Ballet Stagium e a fabricação de um mito" (2019).

VANILTON LAKKA: Vanilton Lakka possui Bacharelado em Ciências Sociais-UFU, Mestre em Artes PPGArtes-UFU, e doutorando em Artes Cênicas no PPGAC-UFBA. É atualmente coordenador do bacharelado em dança da UFU (Universidade Federal de Uberlândia) e um dos diretores da ANDA (Associação Nacional de Pesquisadores em Dança). Criador-intérprete premiado pela APCA - Associação Paulista de Críticos de Artes (2005), atua com produção cultural, criação, interpretação e pesquisa em dança. Sua formação é marcada pela vivência nos universos da Dança de Rua e da Dança Contemporânea. Suas criações coreográficas destacam questões referentes ao uso de técnicas corporais, a formatação de trabalhos de dança em diferentes suportes, a exploração da relação arte-cidade no ambiente urbano com foco na criação e na formação, e em sua pesquisa mais recente tem se dedicado a investigar proposições coreográficas caracterizadas por serem composições coletivas para coletivos não estáveis.