1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Maio

SMED lança campanha para combater a evasão escolar

Busca ativa e divulgação de vídeos na internet fazem parte das ações

Atualizada dia

A Secretaria Municipal da Educação lançou nesta terça (25.05) uma campanha de Busca Ativa para combater a evasão escolar. O cenário de exclusão escolar já era desafiador para as redes públicas de ensino anteriormente, mas com a pandemia de covid-19 as dificuldades aumentaram. A iniciativa é inspirada na campanha Fora da Escola Não Pode!, lançada pela Unicef, para garantir que cada criança e adolescente esteja na escola e aprendendo. Na ação de Caxias, serão lançados vídeos gravados por cidadãos e cidadãs da sociedade civil, estagiários e servidores públicos que incentivam famílias a procurarem escolas próximas de suas residências como forma de regularizar a situação dos filhos que não voltaram para a escola. O material estará nas redes sociais da Prefeitura e canais de comunicação da Rede Municipal de Ensino.

“Toda criança e jovem de 4 a 17 anos deve estar matriculada em uma escola. Os pais ou responsáveis precisam buscar a Central de Matrículas ou a Escola mais próxima para que o estudante seja direcionado a uma vaga. É importante destacar aos pais e responsáveis pelos estudantes já matriculados que a participação nas atividades escolares é indispensável para o futuro de cada criança e cada adolescente”, destaca a titular da Smed, secretária Sandra Negrini.

Em Caxias, em 2020 a evasão ficou em torno de 1,08%, e em 2021, do universo de 33.878 alunos, 1,55% não retornou. Além disso, há alunos que estão matriculadas, mas não têm interação com a escola, nem em aulas presenciais, nem aulas online e nem na busca de atividades na escola para fazer em casa.

“São mais de 500 alunos sem estudar, somente neste ano”, lamenta a secretária. Segundo ela, está sendo feito um monitoramento, construindo um trabalho em parceria com as famílias, a secretaria da Saúde, a FAS, o Conselho Tutelar e a União das Associações de Bairro (UAB).

“É claro que o estudo, em especial a alfabetização, é mais difícil nos formatos que temos hoje, devido à pandemia. Porém, mesmo com limitações, é fundamental que as crianças permaneçam na escola”, resume o prefeito Adiló Didomenico.

A vice-prefeita, Paula Ioris, a empresária Zeli Dambros, e a estagiária da Secretaria da Saúde, Sofia Negrini, são algumas das pessoas que participam dos vídeos de sensibilização, e estiveram presentes no lançamento da campanha.

A evasão escolar é um problema mundial

Para enfrentar os desafios, as redes estaduais e municipais têm usado uma série de estratégias que combinam atividades remotas, entrega de materiais impressos, grupos on-line de diálogo entre professores(as) e estudantes e/ou com famílias e até mesmo contato presencial, com os devidos cuidados sanitários, quando o acesso remoto é difícil, como no caso de estudantes que moram em áreas rurais.

De acordo com dados da Pnad covid-19, edição da pesquisa do IBGE criada especificamente para medir os efeitos do coronavírus no país, 3,5% dos (as) estudantes de 6 a 16 anos de idade não tiveram nenhuma atividade escolar disponibilizada em agosto de 2020. A grande maioria (70,9%), no entanto, recebeu atividades por 5 dias ou mais. Diversos esforços vêm sendo empreendidos por estados e municípios para que as escolas não parem durante a suspensão das aulas presenciais.

O Fora da Escola Não Pode! é uma iniciativa do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para garantir que cada criança e adolescente esteja na escola e aprendendo. Desenvolvida por meio de diversas frentes de atuação, a iniciativa procura conscientizar diferentes atores responsáveis pela inclusão escolar, e também a sociedade em geral, sobre o problema da exclusão escolar e sugerir planos práticos para chegar a uma solução.

*Com informações da campanha Fora da Escola Não Pode!

Galeria de imagens
1 de 3 imagens

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan