1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Novembro

Parceria desperta jovens para a cultura maker

Iniciativa envolveu a escola municipal Ilda Clara Sebben Barazetti e o Instituto Federal do Rio Grande do Sul

Atualizada dia

A escola municipal Ilda Clara Sebben Barazetti e o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS), Campus Caxias do Sul, firmaram parceria para o projeto de extensão denominado Cultura Maker em Práticas Escolares da Educação Básica. A atividade contempla formação para professores e oficinas para estudantes do ensino fundamental da rede municipal de ensino.

A ação do IFRS é desenvolvida pela doutora Kelen Berra de Mello, pelo colaborador doutor Ygor Corrêa e estudante bolsista Pedro Augusto Bertoldo Castilho. O objetivo geral do projeto é desenvolver estratégias pedagógicas ligadas ao movimento maker. A atividade, desenvolvida no projeto interdisciplinar, foi separada em três momentos e teve o envolvimento das disciplinas de matemática, português e história.

O primeiro passo consistiu na apresentação do software de modelagem 3D, Tinkercad, seguida da aplicação de um estudo dirigido, ensinando como construir um Pokémon. Em paralelo, na disciplina de português, os jovens estudavam a obra “Os Miseráveis”, do autor francês Victor Hugo, e, em história, a Revolução Francesa.

No segundo momento, foi solicitado aos estudantes que recriassem, no Tinkercad, uma cena do livro. Algumas criações foram castiçais, igrejas e caravelas, todas ambientadas no século XVIII. Para a finalização desta atividade, a escola escolheu os melhores projetos para serem materializados por meio da impressão 3D.

Na quarta-feira (10.11), os estudantes participaram do programa Portas Abertas, que abre à comunidade a oportunidade de conhecer a estrutura do IFRS. A programação incluiu apresentação do vídeo institucional e manifestações do diretor da instituição, Jeferson Luiz Fachinetto; da coordenadora de extensão, Maria de Fátima Fagherazzi Pizzoli; e da coordenadora de pesquisa, inovação e pós-graduação, Kelen Berra de Mello.

Divididos em três grupos, os estudantes conversaram com integrantes do Grêmio Estudantil e visitaram as instalações, acompanhados pelos bolsistas do programa, Carolina Guimaraes Matias, Alice Guedes Reguly, Luiza Cruz Marcon, Matheus Frosi de Brito e Roberta dos Reis Constantin. O roteiro incluiu a biblioteca e os laboratórios, dentre eles o de Fabricação. Neste, os bolsistas Pedro Augusto Bertoldo Castilho e Luís Henrique Ribeiro da Silva apresentaram o funcionamento de uma impressora 3D. Os alunos puderam visualizar as suas construções produzidas durante as aulas de matemática materializadas pelo equipamento. Também conheceram o funcionamento da máquina CNC de corte a laser, na qual foi produzida uma placa de acrílico com o nome da escola.

A diretora Cristiane Beltrame Padilha destacou que o uso do tinkercad como ferramenta de ensino, na cultura maker, posiciona a escola na vanguarda por colocar os estudantes em contato com aprendizado de forma concreta. “No decorrer das oficinas e na troca de informações com os bolsistas do instituto, os alunos recebem noções concretas sobre gráficos, razão, proporção, escala, área e volume, por exemplo”, citou.

Assinalou ainda que o objetivo é a implementação da robótica na escola, que já tem laboratório e equipes preparadas. “Nosso sonho é termos parcerias com empresas da comunidade para doações de kits e equipamentos, como peças de legos, bases de arduíno, antenas e eixos, dentre outros. Já temos o projeto pronto e vamos apresentar ao setor empresarial”, comentou.

Kelen Berra de Mello afirma que no primeiro semestre foi ofertado o curso “Desenvolvendo projetos de ensino usando modelagem 3D no Tinkercad para os professores das escolas municipais e estaduais. Ao final, eles deveriam criar uma proposta de ensino interdisciplinar. A partir da capacitação, as professoras Thais de Oliveira Rodrigues, Sabrina Alano Martini, Daiane Kny, Valdirene Cristina Miola de Macedo e Franciele Rodrigues de Oliveira elaboraram o projeto desenvolvido na escola Ilda Barazetti.

Kelen argumenta que o trabalho só foi efetivo graças ao engajamento dos professores, da direção e dos alunos. Também citou o trabalho do bolsista do projeto, Pedro Augusto Bertoldo Castilho, aluno do ensino médio do IFRS, que dedicou-se ao projeto e motivou os estudantes no uso do software Tinkercad. Ressalta que trabalhos como este mostram para os alunos do ensino fundamental que a matemática pode ser algo muito atrativo. “É importante que a tecnologia seja uma aliada nas aulas de matemática. O instituto deseja continuar a parceria com a escola e fica aberta para outras ações com a rede municipal de ensino”, acrescentou.

Galeria de imagens
1 de 3 imagens

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação

Foto por Divulgação