1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Dezembro

Caxias do Sul atinge 200 focos do mosquito da dengue em 2021

A Vigilância Ambiental em Saúde lembra as orientações para combater a proliferação do Aedes aegypti

Publicada dia

A Vigilância Ambiental em Saúde, ligada à Secretaria Municipal da Saúde (SMS), informa que Caxias do Sul chegou a 200 focos do mosquito causador da dengue em 2021. O número é alarmante e o Município, que está em estado de alerta para combater o Aedes aegypti, solicita a colaboração de toda a população.

O principal objetivo é impedir que o mosquito se reproduza, o que ocorre em água parada, por isso é preciso redobrar os cuidados com pneus, reservatórios de água não tampados, potes de plantas e outros recipientes. 

“Neste período de férias é sempre bom separar um tempo para olhar o pátio de casa, baldes, garrafas de vidro, bebedouro de cachorro, gato, pássaros. É importante não só revisar, mas limpar esses recipientes com água e sabão pois o ovo do Aedes pode aguentar até 420 dias sem água”, esclarece Sandra Tonet, diretora técnica da Vigilância Ambiental em Saúde.

A Vigilância Ambiental alerta que, caso seja confirmado foco positivo (com presença do mosquito Aedes aegypti), o responsável pelo local poderá estar sujeito a um processo administrativo com penas como advertência ou multa, dependendo de cada caso. Essa medida é necessária porque facilitar a reprodução do mosquito causa riscos não só para si mas também para a comunidade, por ser um inseto que prolifera doenças que podem levar à morte. Além da dengue, o Aedes aegypti transmite zika vírus e chikungunya.

Além das fiscalizações e orientações realizadas nas residências da comunidade, os agentes de combate às endemias realizam o monitoramento periódico em 225 pontos estratégicos como ferros velhos, depósitos de carros, floriculturas e cemitérios, que são locais onde há grande probabilidade de surgirem criadouros do mosquito.

Outro auxílio ao combate é a população ficar atenta e, caso encontrar algum lugar com suspeita de água parada e sem os devidos cuidados, denunciar para o telefone 156, do Alô Caxias.

Distribuição dos casos por bairros

  • 49 – Cruzeiro
  • 23 – São José
  • 13 – Colina Sorriso
  • 11 – São Luiz da 6 ª Légua
  • 10 – Reolon
  • 9 – São Cristóvão
  • 8 – Bela Vista
  • 7 – Nossa Senhora de Lourdes e Charqueadas II
  • 6 – Charqueadas I e Petrópolis
  • 5 – De Lazzer, Desvio Rizzo/Jardim da Lagoa, Tijuca e Santa Lúcia Cohab
  • 4 – Pioneiro
  • 3 – Centenário, Sagrada Família e Pio X
  • 2 – Jardim América, Mariland e Medianeira
  • 1 – Centro, Cristo Redentor, Jardim do Shopping, Jardim Eldorado, Marechal Floriano, Mariani, Santa Fé, Santa Lúcia, Universitário, Vila Seca, Villa-Lobos e Vinhedos

Orientações para evitar a proliferação:

  • Limpar com escovação semanal o recipiente de água dos animais domésticos
  • Recolher o lixo do pátio
  • Colocar o lixo ensacado para ser recolhido pela Codeca
  • Recolher pneus inservíveis e armazená-los em locais secos e protegidos da chuva, ou encaminhá-los à Central de Armazenamento de Pneus Inservíveis da Codeca
  • Tampar caixas d’água
  • Colocar telas milimétricas em caixas d’águas descobertas, reservatórios de captação de água da chuva e nos ralos
  • Limpar as calhas
  • Semanalmente, lavar e escovar piscinas plásticas, trocando a água
  • Eliminar os pratinhos das plantas.
Galeria de imagens
1 de 4 imagens

Foto por Vigilância Ambiental em Saúde

Foto por Vigilância Ambiental em Saúde

Foto por Vigilância Ambiental em Saúde

Foto por Vigilância Ambiental em Saúde