1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Dezembro

Caxias passa a contar com Banco de Materiais de Construção

Projeto aprovado na Câmara de Vereadores foi transformado em lei

Atualizada dia

O prefeito Adiló Didomenico sancionou nesta segunda-feira (20/12), transformando em leis, sete projetos aprovados pelo Executivo. Uma delas institui o Banco de Materiais de Construção de Caxias do Sul, que terá as funções de coletar, armazenar e redistribuir sobras de materiais de construção civil. O projeto foi inicialmente apresentado pelo vereador Zé Dambrós (PSB), que o retirou, por ser inconstitucional, possibilitando que o Executivo fizesse o encaminhamento.

A população em situação de vulnerabilidade terá preferência para o repasse nos casos de construção ou reforma da moradia para melhorar o nível de habitabilidade ou recuperação em caso de calamidade. “Faremos um esforço no sentido de ajudar a população”, afirmou secretário do Meio Ambiente, João Osório Martins. “Devemos dar atenção para essas pessoas. No município, há mais de 20 mil moradias que necessitam de auxílio”, completou o secretário de Habitação, Giovani Fontana.

Também foi sancionada a nova lei que regula o serviço funerário e de cemitérios. A proposta cria diretrizes para a execução dos serviços e institui a taxa de licença aos proprietários da posse da terra. As alterações visam auxiliar nos custos de manutenção, limpeza, reformas e iluminação dos cemitérios públicos. A partir desta lei, a Prefeitura lançará licitação para a exploração do serviço. O projeto também estabelece ao poder público, por meio da Fundação de Assistência Social, obrigações com pessoas em vulnerabilidade social.

Outra lei sancionada autoriza o Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae) a realizar, com recursos próprios, obras e serviços de drenagem em caráter emergencial, incluindo micro e macrodrenagens. Também foi sancionada lei que autoriza a concessão de isenção sobre o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana para novos loteamentos regularmente aprovados na área urbana. A isenção pode ser concedida por até dois anos, sem a possibilidade de prorrogação ou renovação do pedido.

Ainda foi sancionada a lei que retorna a região de São Giácomo à classificação de Zona Rural do município. A matéria retira a localidade da zona urbana, ao alegar que, em 2020, equivocadamente, ela havia saído do perímetro original. Outra mudança sancionada ocorreu no Código de Posturas do Município. A alteração transfere da Secretaria do Urbanismo para a de Meio Urbano a fiscalização sobre o mato alto em terrenos não edificados.

O único projeto de origem legislativa, de autoria da vereadora Denise Pessôa/PT, institui a Política Municipal para a População Imigrante. A lei sancionada garante ao imigrante acesso a direitos sociais e de serviço público e fomentam a participação a ações com a sociedade.

As sanções foram ainda acompanhadas pelos secretários João Uez, do Urbanismo; Élvio Gianni, do Desenvolvimento Econômico; Norberto Soletti, de Obras e Serviços Públicos; Paulo Roberto Rosa da Silva, da Segurança; secretária Grégora Fortuna dos Passos, de Governo; Procurador-Geral Adriano Tacca; diretor-presidente do Samae, Gilberto Meletti; deputado Neri, o Carteiro; presidente da Câmara Municipal, Velocino Uez/PTB; e parlamentares Olmir Cadore/PSDB e Denise Pessôa; o presidente do Sinduscon Caxias, Rodrigo Postiglione, e moradores de São Giácomo.

Galeria de imagens
1 de 6 imagens

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan

Foto por João Pedro Bressan