1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Dezembro

Prefeitura libera reconstrução de telhado da sede da UAB

Trabalho será executado com recursos privados como compensação a autorização concedida pelo Município para obra subterrânea

Publicada dia

Problema recorrente em encontros de lideranças comunitárias de Caxias do Sul desde abril do ano passado terá solução em 2022. Na assembleia de sábado (11/12) da União de Associações de Bairros (UAB), o prefeito Adiló Didomenico assinou o termo autorizativo para a reconstrução do telhado da sede da entidade, que precisou ser retirado para evitar a queda. A UAB ocupa espaço nas antigas instalações da Vinícola Luiz Antunes, que também abriga o Centro de Cultura Ordovás.

De acordo com o secretário da Habitação, Carlos Giovani Fontana, a tentativa de reformar o telhado não foi possível diante da precariedade da estrutura, o que levou à retirada total. Mas para que isto ocorresse foi necessário um trabalho junto aos organismos de proteção ao patrimônio histórico e da própria União, pois o local é cedido ao Município. “Por sua complexidade, edificações inventariadas têm processos mais demorados”, reforçou o prefeito.

A partir da assinatura do termo, a empresa Bazei Plásticos e Embalagens poderá dar início às obras, orçadas em torno de R$ 100 mil. Trata-se de compensação a projeto proposto pelo Executivo, aprovado pelo Legislativo e com sanção em abril deste ano, de utilização, pela empresa, de área subterrânea para conectar duas unidades fabris.

Também na assembleia foi sancionada a lei, proposta pelo Executivo e aprovada pelo Legislativo, de delimitação de 12 novos bairros, que somam-se aos 65 já oficiais, e de correções nos limites territoriais de 47 localidades. Aos novos bairros foram dadas as denominações de Belo Horizonte, Colina Sorriso, De Zorzi, Industrial, Nossa Senhora da Conceição, Reolon, Santa Lucia, Século XX, Tijuca, Vila Lobos, Vila Verde e Vinhedos. O prefeito ainda confirmou a retomada das atividades do Fórum dos Usuários do Transporte Coletivo, que tem seu primeiro encontro programado para março de 2022.

O prefeito recebeu da UAB um conjunto de reivindicações formuladas pelas lideranças comunitárias. A pedido da diretoria da entidade, cada presidente de bairro apresentou até três de suas principais demandas, as quais serão repassadas às secretárias responsáveis.

Nas manifestações orais, presidentes de associações expuseram reivindicações e críticas, especialmente à saúde e ao transporte coletivo. Todas as intervenções receberam atenção do prefeito, que reiterou a situação financeira delicada do Município, mesmo que o orçamento se encerre com superavit; citou a grave crise na saúde em razão da terceira onda da pandemia do coronavírus, em março de 2021; temas que precisavam de solução imediata, como a nova licitação do transporte coletivo; e o quadro crítico da Companhia de Desenvolvimento de Caxias (Codeca), ainda indefinido.

O prefeito avalia que o quadro de servidores da saúde foi incansável no combate à pandemia, enquanto a maior parte da população mantinha-se preservada em casa. Informou às lideranças que não é projeto da Prefeitura construir novas Unidades Básicas de Saúde, mas qualificar e ampliar as atuais. Anunciou que, além da UBS Cruzeiro, mais quatro serão transformadas em distritais, com acréscimo de atendimentos. São as unidades do Desvio Rizzo, Esplanada, Eldorado e Vila Ipê. Também adiantou que a Prefeitura mudará a atual legislação que fixa em 12 horas a carga horária dos médicos, elevando para 20 horas nos próximos concursos.

Sobre o transporte coletivo, o prefeito anunciou investimento de R$ 5 milhões para a elaboração do Plano de Mobilidade. A medida garantirá que o Município tenha uma visão abrangente e detalhada sobre os principais aportes que precisam ser feitos nesta área, que inclui o transporte coletivo. Ainda comentou que é intenção da Prefeitura colocar em funcionamento até maio, já para atender demandas da Surdolimpíadas, o vídeomonitoramento 24h por câmaras de vigilância para inibir assaltos e vandalismo.

Finalizou relatando o quadro financeiro crítico da Codeca. Ao definir a situação como dramática, alertou que sem apoio das lideranças comunitárias, dos sindicatos e dos colaboradores, a sobrevivência da companhia é difícil. “O desejo é recuperar a empresa, que é estratégica para a cidade. Mas precisamos nos ajudar mutuamente e encontrar saídas em que todos cedam em busca do melhor para a companhia e comunidade”, reforçou.

A assembleia foi acompanhada ainda pelos secretários Paulo Roberto da Rosa Silva, Segurança; Norberto Soletti, Obras; Alfonso Willenbring Júnior, Trânsito; Carlos Giovani Fontana, Habitação; e João Uez, Urbanismo; pelas secretárias Margarete Bender, Planejamento, e Grégora Fortuna dos Passos, de Governo; chefe de Gabinete, Cristiano Becker da Silva; Francis Venturin, representante da secretaria do Esporte e Lazer; presidente da Codeca, Helen Machado; coordenadores do Procon, Jair Zauza, e das Relações Comunitárias, José Oltramari; presidente da Fundação de Assistência Social, Katiane Boschetti da Silveira; Procurador-Geral do Município, Adriano Tacca; diretor-presidente do Samae, Gilberto Meletti; e diretoras da Secretaria da Saúde, Vanusa Prestes Perini, de Atenção Primária em Saúde, e Marguit Weber Meneguzzi, do Departamento de Avaliação, Controle, Regulação e Auditoria. Todos se manifestaram, colocando suas pastas à disposição das lideranças comunitárias. O Legislativo foi representado pelos vereadores Olmir Cadore (PSDB) e Renato Oliveira (PCdoB).

Galeria de imagens
1 de 5 imagens

Foto por Juliane Ribas

Foto por Juliane Ribas

Foto por Juliane Ribas

Foto por Juliane Ribas

Foto por Juliane Ribas