1. Início
  2. Notícias
  3. 2021
  4. Dezembro

Prefeitura reajusta IPTU com base no IPCA

Índice de 10,67% é relativo ao período de novembro de 2020 e outubro de 2021

Atualizada dia

O Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) e a taxa de coleta de lixo sofrerão reajuste de 10,67% no próximo ano, em Caxias do Sul. O índice tem por base de cálculo o IPCA, indicador oficial de inflação do governo, que considera, dentre outros componentes, transporte, alimentação e habitação.

O IPCA já era aplicado em anos anteriores. Em 2020 passado, no entanto, a então administração optou por aplicar índice calculado a partir da média de uma cesta de indicadores. Caso fosse mantida esta fórmula, o reajuste seria de 11,16%. “A gestão atual entendeu que o IPCA seria mais justo e estável neste momento. O Município precisa repassar a inflação sob pena de apontamento por renúncia fiscal”, explicou o diretor-geral da Secretaria da Fazenda, Micael Meurer.

A partir da próxima semana, os Correios iniciam a distribuição dos mais de 255 mil carnês confeccionados para o IPTU de 2022. A expectativa é que a entrega se estenda até a virada do ano. Contribuintes que não quiserem aguardar o documento físico poderão imprimir o carnê com cota única para vencimento em 21 de janeiro em https://caxias.rs.gov.br/servicos/receita/iptu/boletos. Outra possibilidade virtual, segundo a diretora Marilene Golin, é o aplicativo Cidadão Online.

Para o exercício de 2022, a Prefeitura inova com a possibilidade de o contribuinte escolher o vencimento da cota única em três datas: 21 de janeiro, com desconto de 12%; 10 de fevereiro, com 10%; e 10 de março, com 8%, para que estiver em dia com os impostos municipais até 30 de novembro. Para quem tem débitos, os descontos são de 7%, 5% e 3%, dependendo da data escolhida para o pagamento. Quem optar pelo parcelamento, o primeiro vencimento será em 11 de abril, seguido de mais três sucessivamente. “Reduzimos o desconto anterior de 15%, mas melhoramos as condições de pagamento, alongando os prazos e permitindo ao contribuinte organizar-se melhor no início de ano, quando são muitos os compromissos financeiros”, expôs o secretário Roneide Dornelles.

Na avaliação dos gestores da Fazenda, o pagamento em cota única, mesmo com as alterações, deve representar em torno de 64% da arrecadação do imposto. Também pode contribuir para manter a queda na inadimplência, que dos 14% históricos, deverá fechar, em 2021, com 11%.

Galeria de imagens
1 de 2 imagens

Foto por Bianca Prezzi

Foto por Bianca Prezzi