1. Início
  2. Notícias
  3. 2022
  4. Abril

Plataforma tecnológica de ensino a distância proporciona experiência inédita na rede municipal de Caxias do Sul

Cerca de 70 estudantes de três turmas em duas escolas diferentes assistem a aula simultânea com conteúdo alinhado à nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC)

Publicada dia

Cerca de 70 estudantes da rede pública municipal de Caxias do Sul foram os primeiros beneficiados com uma experiência inédita proporcionada por professores equipados com novas plataformas de ensino a distância adquiridas e disponibilizadas às escolas pela Secretaria Municipal de Educação (SMED). O investimento realizado pelo município em ferramentas como Google Classroom, dentro de um amplo programa de atualização tecnológica que já destinou quase R$ 28 milhões à Educação em apenas oito meses, permitiu que três turmas de 9º ano participassem da mesma aula, simultaneamente, em duas escolas diferentes.

Fisicamente, as escolas municipais de Ensino Fundamental Fermino Ferronatto e Nova Esperança estão distantes não mais do que um quilômetro uma da outra, no bairro Charqueadas. Na atividade proposta pelo professor André Luiz Lopes da Silva, porém, ficaram ainda mais próximas. A aula de Geografia ministrada por ele na Nova Esperança contou com a participação do professor Luciano Gräber Assmann, de Língua Inglesa. E foi acompanhada por alunos de ambas as instituições, ao mesmo tempo. Na Fermino Ferronatto, com o apoio de professoras de Ciências e Língua Portuguesa em duas turmas distintas.

“Diante de tudo o que enfrentamos, entendo que o avanço tecnológico da educação é um legado positivo da pandemia. O que realizamos é pioneiro na rede municipal de ensino. E representa uma quebra de paradigma na ideia de serviço público estático para as transformações do mundo”, afirma Silva.

O servidor destaca o estímulo oferecido pelas gestões de ambas as escolas, consideradas receptivas a experiências inovadoras. Em conjunto com a secretaria, ambas liberaram acesso à plataforma e ampliaram o plano de dados que permitiu conexão entre as duas salas de aula.

“Já estávamos familiarizados com o sistema desde o ano passado, pois, em função da pandemia, atendíamos grupos presenciais e remotos simultaneamente. Na Fermino Ferronatto, por exemplo, em dado momento, havia 14 alunos presentes fisicamente e outros 20 acompanhando online”, descreve Silva, que atualmente leciona Geografia transmitindo em paralelo imagens ao vivo de diversos pontos do planeta por meio do YouTube Live – uma forma de compreender, por exemplo, a questão dos fusos horários.

Conteúdo alinhado com atualização curricular

Detalhe importante é que a escolha das informações abordadas na chamada aula síncrona – como a experiência é conhecida no jargão pedagógico – prezou pelo alinhamento com a nova Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Neste caso, uma introdução ao desenvolvimento da habilidade de “analisar a atuação das corporações internacionais e das organizações econômicas mundiais na vida da população em relação ao consumo, à cultura e à mobilidade”. Um mergulho nas formas mais atualizadas de conteúdo e metodologia de ensino.

Na prática, para entender: a convite do professor André Luiz Lopes da Silva, de Geografia, o colega Luciano Gräber Assmann, de Língua Inglesa, trouxe um relato de atuação profissional em Frankfurt, na Alemanha. Ambos estavam na EMEF Nova Esperança. Além deles, três turmas de 9º ano participaram da aula simultaneamente: uma na Nova Esperança, aos cuidados de Silva, e duas outras na Fermino Ferronatto, sob monitoramento de duas outras colegas. Em pauta, questões como mobilidade urbana e Divisão Internacional de Trabalho (DIT) na Comunidade Europeia.

“Trouxe a eles algumas impressões do que vivi na Alemanha. Falamos de questões de comportamento, cotidiano, trabalho e até de aposentadoria. Acredito que consegui transmitir o que vi, mas como não foi um período muito longo que passei por lá, naturalmente, foi uma perspectiva com o filtro de um olhar pessoal. A experiência com os estudantes foi bastante funcional. Só não foi ainda mais rica por falta de tempo”, resumiu Assmann.

Após o sucesso da experiência até então inédita na rede municipal, os dois professores já ensaiam a próxima edição da iniciativa. Desta vez, a ideia de Silva é resgatar a experiência de aproximadamente um semestre de Assmann nos Estados Unidos. Mais uma vez, unindo duas escolas simultaneamente na mesma viagem.

Fotos: Arquivo Pessoal

Galeria de imagens
1 de 4 imagens

Tecnologia permite aula simultânea com participação de três turmas em duas escolas diferentes da rede municipal

Foto por Arquivo Pessoal

Tecnologia permite aula simultânea com participação de três turmas em duas escolas diferentes da rede municipal

Foto por Arquivo Pessoal

Tecnologia permite aula simultânea com participação de três turmas em duas escolas diferentes da rede municipal

Foto por Arquivo Pessoal

Tecnologia permite aula simultânea com participação de três turmas em duas escolas diferentes da rede municipal

Foto por Arquivo Pessoal