1. Início
  2. Notícias
  3. 2022
  4. Maio

Solidariedade na Surdolimpíadas: Delegações recebem doações de agasalhos e calçados

Ação recebe donativos na Praça Surdolímpica e no Colégio São Carlos

Publicada dia

Com a chegada da 24ª edição da Surdolimpíadas, Caxias do Sul recebeu 78 nações, mais de 4 mil estrangeiros circulando pela nossa cidade. Mas o clima instável da Serra Gaúcha fez com que muitos visitantes, que não estão acostumados com o frio do Sul do país, necessitassem de agasalho. E foi pensando nisso, que o Comitê Organizador do evento, montou um espaço na Praça Surdolímpica, localizada nos Pavilhões da Festa da Uva, para receber doações e encaminhá-las aos atletas e visitantes que precisam.

Nesta quarta-feira (11/05), a loja World Tennis enviou cerca de 50 pares de tênis ao local. Os donativos, que ficam expostos na Praça Surdolímpica, podem ser retirados a qualquer momento pelas delegações que necessitam. Qualquer pessoa que acessar o local e desejar fazer uma doação, poderá realizá-la. O Colégio São Carlos, localizado na Rua Sinimbu, nº 2533, São Pelegrino, também está recebendo agasalhos e calçados para serem encaminhados à ação, até a próxima sexta-feira (13/05). De acordo com o Comitê Organizador da Surdolimpídas, as roupas masculinas são as mais requisitadas no momento.

Mãos que aquecem o coração

A Fundação Marcopolo doou na última semana, cerca de 30 jaquetas à delegação senegalesa. Luciano Balen, 47 anos, coordenador da Fundação, conta que a solicitação chegou até a instituição através do consulado senegalês de Caxias do Sul. A Fundação Marcopolo recebeu os agasalhos da empresa e entregou, através de 10 funcionários, aos atletas senegaleses. “Fizemos esta doação por conta de saber que muitos deles desconheciam o frio do Sul do Brasil”, comenta.

Em outra ocasião, um jogo de Handebol masculino de Gana chamou a atenção árbitros que apitavam durante a partida. Eles perceberam que os jogadores trocavam os tênis com seu público que estava na arquibancada. As árbitras da Liga de Handebol do Paraná, Sandra Quadros, 39 anos, e Juliana Lima, 38 anos, contam que o episódio comoveu toda a equipe. “Foi muito difícil ver aquela situação! É uma realidade muito diferente da nossa. Então, nos reunimos, fizemos uma vaquinha, conversamos o intérprete de Gana, perguntamos a numeração da equipe e fizemos uma doação de tênis aos sete jogadores”. Sandra conta que foi através desta ação que a loja World Tennis se propôs a realizar doações também.

Galeria de imagens
1 de 8 imagens

Foto por Andreia Verza

Foto por Sandra Quadros

Foto por Andreia Verza

Foto por Divulgação Fundação Marcopolo

Foto por Andreia Verza

Foto por Andreia Verza

Foto por Andreia Verza

Foto por Andreia Verza