1. Início
  2. Notícias
  3. 2022
  4. Outubro

Aberta a 38ª Feira do Livro de Caxias do Sul

Praça Dante Alighieri será palco da leitura até 16 de outubro

Atualizada dia

O tradicional clima caxiense se fez presente em mais uma abertura da Feira do Livro. O relógio da Praça Dante marcava 18h45min e 12°. Já era noite e a chuva participou o tempo todo da solenidade que abriu o tempo de leitura na cidade.

Com o tema “Tudo é Leitura”, a maior festa literária vai até o dia 16 de outubro e deve atrair mais de 250 mil pessoas, na Praça Dante, no coração de Caxias do Sul, com atividades gratuitas, nos espaços da Casa da Cultura, do Teatro Municipal Pedro Parenti, da Biblioteca Pública Municipal Dr. Demetrio Niederauer e da Galeria Municipal de Arte Gerd Bornheim.

A presidente da Associação dos Livreiros de Caxienses, Maria Helena Lacava, abriu os discursos saudando os leitores e agradecendo a oportunidade de realizar mais uma edição da Feira do Livro. “ Todos os anos somos otimistas em estar aqui não só com os livros, mas sim o conhecimento. Estamos aqui para conquistar mais leitores. O livreiro toca o coração e a mente das pessoas e pode ser um transformador de vidas”, disse a presidente.

O professor Décio Bombassaro, Amigo do Livro desta edição, iniciou seu pronunciamento dizendo todos estavam sendo observados por Dante Alighieri e a sua amada Beatrice e por Júlio de Castilhos, que nominou Caxias a Pérola das Colônias. “A palavra escrita ou falada, como forma de expressão é um conjunto de teorias e conhecimentos compostos. Desde os cinco anos sou adepto dos livros, sou amigo deles e eles são meus, com os mais de 4mil livros que possuo em minha biblioteca. A literatura ajuda a compreender a vida, na sua forma mais complexa. A literatura cria possibilidades impossíveis e torna a vida muito melhor”, disse o Bombassaro citando respostas a perguntas feitas a ele sobre a importância de ser o Amigo do livro de 2022.

Após o Amigo do Livro, foi a vez do público ouvir as palavras da Patrona Maya Falks, que iniciou a fala dizendo que foi privilegiada em nascer em uma família de leitores e agradecendo aos livreiros e aos organizadores que sem eles o evento não seria possível. “ Estou sem palavras! Sei que para uma escritora dizer isso é algo estranho, pois vivo de palavras, mas emoções muitas vezes não podem ser descritas, mas sim sentidas, Persigo esse sonho há 38 anos. Hoje estou aqui, emocionada, realizando meu sonho desde que nasci”, disse a Patrona que salientou ainda que Infelizmente o acesso ao livro não é para todos. A cultura é um direito, não é um favor e todos devem ter acesso ao crescimento para a construção. Chega de destruição, agora é hora de construção.

A secretaria Municipal da Cultura, Aline Zilli, iniciou suas palavras com agradecimento especial a todos os apoiadores da Feira do Livro, que fazem deste desafio de fazer a feira acontecer no coração da cidade. “Desejo a todos que tropecem nesta praça cheia de livros, olhem para a capa de um livro, se sintam atraídos por ela e comecem a experimentar o gosto pela leitura e para que os mais experientes possam fartamente escolher novos títulos”, comentou Aline.

O prefeito Adiló Didomenico, que é apreciador da leitura encerrou os discursos dizendo que a 38ª feira do livro é mais um capítulo que está sendo contado na história da cidade e que a feira é um evento das multivozes (livreiros, leitores, comunidade e todo o segmento cultural), que é multicultural, com momentos de trocas de experiências e que fortalece e valorize a leitura. “Durante o momento crítico da pandemia, muitas vezes encontramos nos livros, poderosos companheiros que nos levaram a outras realidades, abrindo portas à reflexão, nos ajudando a avaliar novas perspectivas, principalmente nos difíceis momentos de isolamento. Ler também é construir um universo próprio, especial. E eu sou um grande apreciador da leitura, seguramente esse hábito é transformador”, comentou o prefeito que tem convicção de que experiências, bons negócios e muita alegria serão compartilhados na Feira.

E às 19h25min, o momento mais esperado, a escritora Maya Falks, Patrona da 38ª edição da Feira do Livro de Caxias do Sul, visivelmente feliz, tocou a sineta. Está aberta a Feira!

Após o encerramento do protocolo, o palco foi ocupado pela contagiante banda Clube do Blues da Serra Gaúcha. Na Casa da Cultura, a galeria Gerd Bornheim deu início a exposição “100 Ritrati”, de Graça Graidy.

A Feira vai promover mais de 300 atrações, como sessões de autógrafos, saraus, bate-papos, apresentações de música e teatro, além da tradicional venda de livros a preços atrativos na Praça, em 17 dias. Ao todo, são 18 bancas neste ano: Livraria Clássica, Do Arco da Velha, Chico Xavier, Sebo só ler, Paulus Livraria, Livraria Rossi, Livraria da UCS, Editora da UCS (Educs), Fogaça Livraria, Cia do desenho - CLIP Caxias, Livraria Shalom, Mercado de Ideias, Livraria Correa e Bezerra de Menezes.

A programação completa pode ser acompanhada pelo Instagram (@feiradolivrocaxiasdosul), pelo Facebook (https://www.facebook.com/FeiradoLivrodeCaxiasdoSul) ou pelo site https://www.feiradolivrocaxias.com/programacao

Galeria de imagens
1 de 7 imagens

Patrona Maya Falks

Foto por Tatieli Sperry

Amigo do Livro Décio Bombassaro

Foto por Tatieli Sperry

O Toque da Sineta! Aberta a 38º Feira do livro de Caxias do Sul.

Foto por Tatieli Sperry

Prefeito Adiló Didomenico

Foto por Tatieli Sperry

Bancas na Praça Dante

Foto por Tatieli Sperry

Show do Clube de Blues da Serra Gaúcha

Foto por Tatieli Sperry

Exposição 100 Ritrati de Graça Craidy

Foto por Tatieli Sperry